ESTUDO: OS ÍDOLOS DO CORAÇÃO E O ENGANO DA FALSA PROFECIA:



LIÇÕES DA HISTÓRIA DO PROFETA MICAÍAS
Texto Bíblico: 2 Cr 18.4-34

Introdução: Tenho admoestado muito contra os falsos profetas e contra as falsas profecias. Pelo Espírito de Deus,tenho alertado a Igreja Betel sobre o poder destruidor e maligno que se encontra oculto atrás de uma profecia que é falada em nome do Senhor, mas que jamais procedeu dos lábios de Deus. É preocupante o número de homens e mulheres que vão às reuniões de oração e estão sempre descontentes com tudo. São pessoas que, desorientadas e sem comunhão com Deus ,se tornaram suscetíveis a receber qualquer palavra que fale diretamente aos seus desejos, vaidades e caprichos. Aceitam qualquer palavra que venha fortalecer seus mais obstinados desejos. A Bíblia chama estes desejos de ídolos do coração (Ez 14.2-4). Tudo o que essa gente precisa é encontrar “profetas” que não têm o temor de Deus, que estão preocupados com suas próprias vidas mesquinhas e que podem ser comprados ou persuadidos por alguma recompensa. Estes falsos profetas falarão a estas pessoas de acordo com seus ídolos, mas jamais de acordo com a Palavra de Deus. E isto, o próprio Deus pode permitir. Vejamos o que podemos aprender com a trágica história do final da vida de Acabe, como foi enganado pelos ídolos do seu coração ao ouvir e crer em falsas profecias e de como a Bíblia claramente afirma que Deus deu livre curso ao espírito de engano para destruí-lo. No meio de 400 profetas não se achou um que não tivesse sido enganado. Somente um, Micaías, que não fazia parte desse grupo, falou da parte de Deus. Ele não disse uma palavra de vitória, mas revelou o que aconteceu no Mundo Espiritual que permitiu que tanta gente fosse enganada em nome de Deus. E também anunciou o juízo de Deus sobre Acabe. Há neste texto preciosas lições para a Igreja hoje.

I. UMA CILADA EM NOME DE DEUS

1.Josafá, rei de Judá, havia se aliado com Acabe, rei de Israel, através do casamento de seus filhos. (Jeorão e Atalia, respectivamente).Uma aliança não aprovada por Deus uma vez que Josafá era temente a Deus e Acabe era idólatra, adorava declaradamente a Baal. Josafá era um homem de Deus, enquanto Acabe, casado com Jezabel, uma feiticeira e profetisa de baal, fazia coisas abomináveis ao Senhor. Depois de algum tempo, Josafá foi à Samaria visitar Acabe. Acabe perguntou a Josafá se este iria guerrear ao seu lado contra a Síria. Josafá confirmou a aliança, mas pediu que o Senhor Deus fosse consultado quanto à batalha (v. 3.4).

2.Então o Rei de Israel chamou todos os profetas de Israel, um total de 400 homens. É bom lembrar que estes homens não eram profetas de baal nem falsos profetas, eram profetas do Senhor Deus. Eles profetizavam em nome do Senhor (v.9) falavam em nome de Jeová. O rei perguntou-lhes se deveria ou não ir à guerra. Em unanimidade os profetas disseram que o rei deveria atacar a cidade de Ramote-Gileade e seria vitorioso (v.11).

3.Contudo, Josafá não se sentiu seguro com a resposta vinda desse grande número de profetas. O temor do Senhor em sua vida tinha mantido o seu discernimento intacto. Por mais maravilhosa que fosse aquela profecia, ele não estava disposto a aceitá-la assim tão facilmente. Ele perguntou, então, por um outro profeta do Senhor e que não estava incluído entre os 400 (v.6). Ele sabia que aqueles homens eram profetas de Israel e que tinham falado em nome do Senhor, mas no íntimo, Josafá, por temor, sabia que havia algo errado naquela profecia. Precisamos discernir sempre entre a verdade e a mentira, entre o verdadeiro e o falso, entre a voz de Deus, a voz do homem e a voz do diabo.

4.O rei Acabe informou que havia um profeta sim, de quem ele não gostava, pois só profetizava coisas ruins ao seu respeito, (v.7). Tem gente que vive uma vida mentirosa, torta, sem temor a Deus e ainda quer ouvir profecias sobre coisas boas. Uma palavra de exortação para o que está errado diante de Deus é algo mais que bom, é excelente; significa que Deus se importa com a pessoa. O rei Josafá repreendeu Acabe dizendo que Ele não falasse assim de um profeta (v.8). O verdadeiro profeta precisa ser respeitado por ser um mensageiro do Senhor, uma vez que o homem chamado por Deus para profetizar sua Palavra tem unção e autoridade para determinar e realizar em nome do Senhor. Acabe odiava Micaías porque ele nunca profetizava o que ele deseja ouvir. Micaías era um profeta íntegro que não aceitava suborno nem presentes. Ele nunca quis receber nada de Acabe. Ele temia a Deus e não ao homem. Mas os 400 profetas que serviam ora a Deus ora a Baal eram mantidos e sustentados por Jezabel, mulher de Acabe, I Rs 18.19. Micaías, ao contrário,sabia que Deus era a sua fonte e preferia o favor de Deus ao de um rei mau. Ele se mantinha puro e livre das lisonjas que os outros profetas utilizavam. Ele vivia longe da mesa “farta” de Acabe e Jezabel. Quantos homens de Deus hoje estão “vendidos” porque têm ídolos no coração!

5.Acabe, então, mandou chamar Micaías. Enquanto esperavam pelo homem de Deus, os outros “profetas do Senhor” continuaram a profetizar perante os dois reis. Um deles, chamado Zedequias, (I Cr 7.6-10) fizera um chifre de ferro, e declarou que com os chifres os reis feririam e destruiriam os sírios, (v.10). Os outros profetas continuavam profetizando a vitória de Acabe sobre o exército sírio. Estas palavras pareciam verdadeiras e vindas de Deus. Eles estavam edificando, consolando e exortando os reis a irem à batalha, funções específicas da profecia segundo o Novo Testamento. Mas havia algo errado.

6.As mesmas palavras proféticas ecoaram entre quase todos os profetas de Israel. Certamente por causa do grande número de profetas que falaram a mesma coisa, havia uma garantia da veracidade da profecia. O que realmente estava contribuindo para a aceitação da profecia era a confirmação. É o que muitos dizem hoje: “Deus confirmou... ou vários profetas falaram a mesma coisa, vários vasos confirmaram etc”. Mas na verdade aqueles profetas só confirmaram o exato desejo do coração de Acabe. Falaram direto aos ídolos do seu coração: cobiça e ganância.

II. A INTIMIDAÇÃO

1.Acabe ordenou que trouxessem a Ele o profeta Micaías. O mensageiro do Rei acabou encontrando o homem de Deus. Ao invés de simplesmente transmitir a mensagem do Rei para que ele comparecesse, o mensageiro foi além e usado por um espírito imundo de intimidação (do tipo: “estou falando para o seu próprio bem”, “se eu fosse você não me arriscaria a ficar mal com o rei Acabe”, “Se está todo mundo profetizando que vai acontecer, não fale diferente” etc) e tentou desvirtuar o homem de Deus. Disse, com muita sagacidade e falta de temor ao Senhor, que Micaías deveria falar algo favorável já que 400 profetas falaram a mesma coisa, (v.12).

2. Já ouvi tanto disso na minha vida. São muitos os que me dizem que eu seria um sucesso absoluto se pregasse um outro tipo de mensagem, se me aliasse aos muitos Acabes que estão por aí: “Pr Dionildo, prega diferente, uma mensagem moderna, edifique a vida das pessoas falando coisa boas para elas, termine a sua pregação diferente, seja mais artista, no bom sentido. Esse seu jeito assusta as pessoas, use os esquemas que estão dando certo, é por isso que o senhor não tem nada, o senhor esteve várias vezes nos Estados Unidos e não trouxe nenhuma novidade, todo mundo traz sempre um esquema da moda etc”. Talvez estas pessoas queiram o meu bem, eu acredito nisso. Mas são pessoas que falam de acordo com os ídolos do seu próprio coração. Não só eu, mas qualquer outro profeta só pode falar aquilo que recebeu do Senhor.

3. A resposta de Micaías foi dura e objetiva. Ele não se deixou intimidar e levantou a voz, num brado claro de compromisso, fidelidade e temor e disse que só falaria o que Deus mandasse, v 13. Aleluia! Enquanto escrevo este estudo quero fazer um clamor ao Senhor, um grito aos céus nesses dias que antecedem o arrebatamento da Igreja: “Oh, Deus Todo-poderoso, levanta e envia profetas na Igreja Betel que sejam como Micaías, que digam o mesmo em nossos dias! Levanta profetas verdadeiros, Senhor, que não estejam comprometidos com os ídolos do coração!”.

III. O DISCERNIMENTO DO SOBRENATURAL

1. Micaías, tomado pelo Espírito Santo disse a verdadeira palavra profética. Ele relatou a visão dizendo ter visto todo Israel espalhado pelas colinas, como ovelhas sem pastor e ter ouvido o Senhor dizer: estes não têm dono. Cada um volte para a sua casa em paz” (v.16).
2. O Rei de Israel replicou a Josafá reafirmando que Micaías nunca profetizava nada de bom a seu respeito, mas apenas coisas ruins, (v.17).
3. Micaías prosseguiu e revelou o que havia por trás da conformação de vitória por parte de tantos profetas que lhes disseram que poderia ir á batalha. Vamos reler o texto bíblico de (II Cr 18.18-22). O Senhor através de um espírito mentiroso decretou a desgraça de Acabe (V. 22).

IV. O CUMPRIMENTO DA VERDADEIRA PROFECIA

1. Deus permitiu que um espírito imundo respondesse a Acabe conforme o engano e a idolatria em seu coração. Acabe recebeu as Palavras que queria ouvir, mas recusou a Palavra de Deus que lhe trariam proteção e libertação. Saiu para guerrear achando que estava protegido porque tinha se disfarçado para que os sírios não o reconhecessem. Mas o problema não eram os sírios, nem a batalha, nem a guerra. Sua morte estava ordenada por Deus. As pessoas podem se esconder dos pastores, da Igreja, mas de Deus, quem, se esconde? O rei Acabe foi atingido por uma flecha perdida e morreu.
2. Nos nossos dias homens e mulheres continuam profetizando segundo os ídolos do coração. Eles dizem que o Senhor disse, de forma muito convincente e à vontade. Mas será que estas palavras são do Senhor ou são inspiradas pelas forças enganosas da idolatria? Serão palavras que brotam dos ídolos presentes tanto no coração das pessoas quanto no coração daqueles ordinários que se dizem profetas sem jamais terem recebidos nada do Senhor? O Apóstolo Paulo nos adverte seriamente que o próprio satanás se transforma em anjo de luz (2 Co 11.14). Esse é principal modo de operação de satanás. Isso significa que ele e suas legiões de demônios podem imitar as palavras proféticas, colocando-as na mente dos profetas que soam como se o Espírito de Deus estivesse falando. Vamos ler Ez 14.9. Deus deu permissão ao espírito mentiroso para enganar e influenciar de forma errada os profetas de Israel.

Conclusão: Assim como nos dias dos profetas bíblicos, existe hoje em nossos dias uma multidão de profetas e de profecias. A grande maioria anuncia prosperidade, alegria, dinheiro, vida afetiva feliz e paz. Ao invés das pessoas se voltaram para Deus e para a Sua Palavra que é a verdadeira profecia , elas são atraídos pelas profecias que alimentam os ídolos do seu coração, 2 Tm 4.3. Esses falsos profetas estão sendo enganados, com a permissão de Deus e enganando a muitos que não tem o temor do Senhor. Falam de forma a satisfazer a cobiça e o coração idólatra. Nós devemos pedir a Deus profetas como Micaías que falarão fielmente a Palavra do Senhor, não importa se as pessoas vão aceitar ou não. O profeta como mensageiro de Deus e porta-voz do Altíssimo só poderá falar aquilo que recebeu, para a glória do Senhor.

7 comentários:

Alzenil Da Silva Santos disse...

Lindo estudo aprendi muita coisa e irei aplicar este estudo nas minhas ministração. Deus o abençoe

Alzenil Da Silva Santos disse...

Lindo estudo aprendi bastante deus o abençoe

Alzenil Da Silva Santos disse...

Lindo estudo aprendi muita coisa e irei aplicar este estudo nas minhas ministração. Deus o abençoe

jesse dos santos disse...

Está de parabens, por ter cido fiel ao texto.
Que Deus ouça a sua oração, que ele possa levanta micaias no meio do povo de Deus.

Unknown disse...

muito bom..

BebeTo Souza disse...

muito bom o estudo aprendi bastante.

AVANI TAVARES PITANCÓ disse...

Que tremenda palavra e que desafio pra nós cristãos de falarmos e vivermos a sã doutrina da palavra de Deus.

Postar um comentário