ESTUDO: "NÃO TEMAS CRÊ SOMENTE " - A RESSURREIÇÃO DA FILHA DE JAIRO


Um Estudo em Marcos 5.21-24 e 35-43

Introdução: A ressurreição da filha única de um líder religioso demonstrou o poder de Cristo sobre a morte e traz preciosas lições sobre a certeza da intervenção do Senhor e a importância da fé para uma vida vitoriosa quando tudo parece definitivamente perdido.

I. JAIRO FOI A JESUS LEVADO PELO SEU DESESPERO

1. O desespero de Jairo levou-o a Jesus com um senso de urgência – v. 35
  •  Jairo tinha uma causa urgente para levar a Jesus. Sua filhinha estava à morte. Ela era filha única e tinha doze anos (Lc 8.42). 
  •    Todos os outros recursos para salvar sua filha haviam chegado ao fim. Jairo, então, buscou a Jesus com um profundo senso de urgência. O sofrimento muitas vezes pavimenta o nosso caminho para Deus. As aflições tornam-se fontes de bênçãos quando elas nos trazem a Jesus.
  •   Jairo creu que se Jesus fosse com ele, sua filhinha seria salva e viveria.  Ele creu na eficácia do toque das mãos de Jesus. Ele creu que Jesus era a esperança para a sua urgente necessidade.
     2. O desespero de Jairo o levou a transpor barreiras para ir a Jesus
  • A barreira da sua posição social. Jairo era chefe da sinagoga, um líder na comunidade, responsável pelos serviços religiosos no centro da cidade no sábado, pela escola, e tribunal de justiça, durante o restante da semana. Ele supervisionava o culto. O líder de uma sinagoga era um dos homens mais importantes e respeitados da comunidade.       Mas a posição religiosa, social e econômica de um homem, entretanto, não o livra do sofrimento. Jairo era líder, rico, influente, mas a enfermidade chegou à sua casa. Seu dinheiro e sua influência não puderam manter a morte do lado de fora da sua casa. Os filhos dos ricos também ficam doentes e morrem. Jairo se despojou de seu status, e se prostrou aos pés de Jesus. Ele venceu o orgulho por causa da necessidade.
  • A barreira da oposição dos líderes religiosos. As sinagogas estavam fechando as portas para Jesus. Os líderes religiosos viam Cristo como uma ameaça à religião judaica. Jairo precisou romper com o medo da crítica ou mesmo da retaliação dos maiores líderes religiosos da nação.


  •       3. O desespero de Jairo levou-o a prostrar-se aos pés de Jesus
  • Jairo se humilhou diante de Jesus. Ele se prostrou. Ele reconheceu que estava diante de alguém maior do que ele, do que os líderes judaicos, do que a própria sinagoga. Reconheceu o poder de Jesus. 
  • Jairo clamou com perseverança. Jairo não apenas suplicou a Jesus, mas o fez com insistência. Ele perseverou na oração. Ele creu que Jesus tinha poder para levantar a sua filha do leito da morte. Ele creu firmemente que Jesus tinha a solução para a sua urgente necessidade.
    II. JESUS ACOMPANHOU JAIRO LEVANDO ESPERANÇA PARA A SUA DOR
  • Quando Jesus vai conosco podemos ter a certeza que ele se importa com a nossa dor.
  • Jesus sempre se importa com as pessoas: No meio do caminho para a casa de Jairo, ainda parou para conversar com uma mulher anônima e libertá-la do seu mal (veja nosso estudo – O TOQUE DA FÉ).
  • Jesus se importa com você. Sua causa toca-lhe o coração. Três palavras de Jesus neste episódio fazem toda a diferença.
        a)    A palavra da fé. “Não temas, crê somente” (5.36). Era fácil para Jairo crer em Jesus enquanto sua filha estava viva, mas agora ela estava morta. Quando as circunstâncias fogem do nosso controle, também somos levados a desistir de crer.
       b)      A palavra da esperança. “A criança não está morta, mas dorme” (5.39).
      c)    A palavra de poder. “Menina, eu te mando, levanta-te” (5.41). Toda descrença e dúvida foram vencidas pela palavra de poder de Jesus. A menina se levantou não apenas da morte, mas também da enfermidade.
       2.    Quando Jesus vai conosco os imprevistos humanos não podem frustrar os propósitos divinos
  • Jairo deve ter ficado aflito quando Jesus interrompeu a caminhada à sua casa para atender uma mulher anônima no meio da multidão. Seu caso requeria urgência. Ele não podia esperar. Mas Jesus não estava tratando apenas da mulher enferma, mas também de Jairo. A demora de Jesus é pedagógica. Precisamos confiar Nele a despeito de tudo.
  • Algumas vezes parece que Jesus está atrasado (por exemplo, a tempestade no Mar da Galiléia, a ressurreição de Lázaro) Nada apanha Jesus de surpresa. Os imprevistos dos homens não frustram os propósitos divinos. Os impossíveis dos homens são possíveis para Cristo. Quando ele parece estar atrasado é porque está fazendo algo melhor e maior para nós. Há o tempo de Deus, a hora de Deus e o momento dEle agir.
      3. Quando Jesus vai conosco não precisamos temer más notícias – v. 36
  • Jairo recebeu um recado de sua casa dizendo que sua filha havia morrido. Que já era e que não adiantava mais incomodar o mestre. A causa parecia perdida. Jairo estava atordoado e abatido. A última chance de esperança foi arrancada do coração de Jairo. O mundo desabou sobre a sua cabeça. Mas Jesus não reconheceu a palavra da morte como palavra final, Ele lhe disse a palavra da fé: “Não temas, crê somente”.  Esta frase é dita para você esta noite! O sobrenatural de Deus na sua vida vai acontecer.
  • Na hora que os nossos recursos acabam, Jesus nos encoraja a crer somente. As más notícias podem nos abalar, mas não abalam o nosso Senhor. Elas podem pôr um fim nos nossos recursos, mas não nos recursos de Jesus. Jesus disse para Marta: “Se creres verás a glória de Deus”. E ela viu Lázaro viver pela Palavra do Senhor estando morto há quatro dias. As nossas causas irremediáveis e perdidas têm solução nas mãos de Jesus.
  • Jesus é mais poderoso do que a morte. As chaves da morte estão na sua mão. Um dia ele tragará a morte para sempre (Is 25.8). A confiança na presença, na promessa e no poder de Jesus é a única resposta plausível para os nossos problemas. A palavra de Jesus permanece hoje para nós: “Não temas, crê somente”!
  • No meio da crise, a fé tem que sobrepor às emoções. “O grande inimigo da fé não é a razão, mas as nossas emoções”. Há algo temível na morte. Ela nos infunde pavor (Hb 2.15). Quando Jairo recebeu o recado da morte da sua filha ficou desesperado. Jesus, então, o encorajou a crer, pois a fé abre as portas do sobrenatural de Deus.
      4. Quando Jesus vai conosco o sobrenatural sempre acontece – v. 39
  •  Jesus disse que a menina estava apenas dormindo. Muitos dizem que a morte é o fim. Mas a morte não é permanente. Do ponto de vista de Deus, é um sono para o qual há um despertar.
  • Mas Jesus prometeu mais do que isso. Embora estivesse morta, ele iria trazê-la de volta à vida.  “Ela morreu” é uma frase à qual Deus não se curva. “Deus não é Deus de mortos, e sim de vivos; porque para ele todos vivem” (Lc 20.38; Mc 12.27).
  • Os homens continuam céticos. Ao longo dos séculos os incrédulos continuam rindo e escarnecendo, mas Jesus continua operando milagres extraordinários, trazendo esperança para aqueles que estão desesperados.
  • Nós olhamos para uma situação e dizemos: não tem jeito! É impossível! Então, somos tomados pelo desespero e a nossa única alternativa é lamentar e chorar. Mas Jesus olha para o mesmo quadro e diz: é só mais um instante, isso é apenas passageiro, ainda não é o fim, eu vou estancar suas lágrimas, vou aliviar sua dor, vou trazer vida nesse cenário de morte!
     5. Quando Jesus vai conosco, a morte não tem a última palavra – v. 40-42
  • Os mensageiros que foram a Jairo e a multidão que estava em sua casa pensaram que a morte era o fim de uma situação irremediável, mas a morte também precisa bater em retirada diante da autoridade de Jesus.
  • Os que estavam na casa riram de Jesus. Nada sabiam do Deus vivo, por isso, riram o riso da descrença. Mas então Jesus agiu, não considerou a risada e a zombaria (5.40).  “Tomando-a pela mão, disse: Talita cumi, que quer dizer: Menina, eu te mando, levanta-te! Imediatamente, a menina se levantou e pôs-se a andar...” (5.41-42).
  • Assim Jesus estava demonstrando sua autoridade e o seu poder. Jesus não usou nenhum encantamento nem palavra mágica. Somente com sua palavra de autoridade, sem uma luta ofegante, sem meios nem métodos, se impõe à morte. Diante da voz do onipotente Filho de Deus, a morte é vencida perante o criador!
Conclusão: Aonde Jesus chega, entra a cura, a libertação e a vida. Onde Jesus intervém, o lamento e o desespero são estancados. A morte foi tragada pela vitória. Só ele pode acalmar os vendavais da nossa alma, aquietar nosso coração e trazer-nos esperança no meio do desespero. Coloque a sua causa também aos pés de Jesus, pois ele ainda caminha conosco e tem todo o poder no céu e na terra. “Não temas, crê somente”. Aleluia!


0 comentários:

Postar um comentário