ESTUDO BÍBLICO: VENCENDO AS TEMPESTADES DA VIDA


UM ESTUDO EM MC 4.35-41

 
INTRODUÇÃO: As tempestades que enfrentamos na vida não anulam a bondade de Deus. O texto que vamos estudar fala de tempestade não esperada e nos ensina muito sobre a bondade e a intervenção de Deus.Jesus passara todo o dia ensinando à beira-mar sobre o Reino de Deus. Ao final da tarde, ele deu uma ordem para os discípulos para entrarem no barco e passarem para a outra margem, para a região de Gadara, onde havia um homem possesso. Enquanto atravessam o mar, Jesus dormiu e uma tempestade terrível os surpreendeu, enchendo de água o barco. Os discípulos apavorados clamaram a Jesus. Ele repreendeu o vento, o mar e os discípulos. Aqueles homens apavorados com a fúria dos ventos ficaram maravilhados diante do seu milagre.


. I. AS TEMPESTADES DA VIDA

 a)Elas são inesperadas: um acidente, uma enfermidade, uma crise no casamento, um desemprego. As tempestades não mandam telegrama. Elas chegam em nossa vida sem mandar recado e sem pedir licença. As tempestades, algumas vezes nos colhem de surpresa e nos deixam profundamente abalados. Como seguidores de Cristo devemos estar preparados para as tempestades que certamente virão, pois fazem parte da jornada de todo cristão.

b)São perigosas. O barco era varrido pelas ondas (Mt 8:24) e o mesmo já estava se enchendo de água (Mc 4:37). Sobreveio uma tempestade de vento no lago, correndo eles o perigo de soçobrar (Lc 8:23). As tempestades da vida também são ameaçadoras.

c)Chegam de forma tão intensa que deixam as estruturas da nossa vida abaladas. De repente uma doença incurável abala a família, um acidente trágico ceifa uma vida cheia de vigor, um divórcio traumático deixa o cônjuge ferido e os filhos amargurados. Uma amizade de longos anos acaba por causa de traição e falsidade.

d)Fogem do nosso controle. São maiores do que nossas forças. Os discípulos se esforçaram para contornar o problema, para saírem ilesos da tempestade. Mas eles nada puderam fazer para enfrentar a fúria do vento. Seus esforços não puderam vencer o problema. Eles precisaram clamar a Jesus. Quando o problema é maior do que a nossa força, quando não temos capacidade nem estratégia, precisamos olhar para Deus e depender dele, pois quando a tempestade está fora do nosso controle, certamente não está fora do controle de Deus.

e)São surpreendentes. Elas podem transformar cenários domésticos em lugares ameaçadores. O Mar da Galiléia era um lugar muito conhecido daqueles discípulos. Muitas vezes, as piores tempestades que enfrentamos na vida acontecem nos lugares e situações quando nós nos sentimos mais seguros.

 II. OS CONFLITOS QUE ENFRENTAMOS NAS TEMPESTADES DA VIDA

 a) Como conciliar a obediência a Cristo com a tempestade (4:35)? Os discípulos entraram no barco por ordem expressa de Jesus e mesmo assim, enfrentaram a tempestade. Eles estavam no centro da vontade de Deus e ainda enfrentaram ventos contrários. Você tem enfrentado tempestade pelo fato de andar com Deus, de obedecer aos mandamentos de Jesus? Você tem sofrido oposição e perseguição por ser fiel a Deus? Tem perdido oportunidade de negócios por não transigir? Tem perdido concorrências em seus negócios por não dar propina? Tem sido considerado um estorvo no seu ambiente de trabalho por não se envolver no esquema de corrupção? Há momentos que sofremos, não por estarmos na contramão, mas por andarmos pelo caminho direito. O mundo odiou a Cristo e também vai nos odiar. Seremos perseguidos por vivermos na luz.

b)Como conciliar a tempestade com a presença de Jesus (4:35, 36)? O fato de Jesus estar conosco não nos poupa de certas tempestades. Ser cristão não é viver numa redoma de vidro, numa estufa espiritual. A tempestade ajudou os discípulos a entenderem que podemos confiar em Jesus nas tempestades da vida.

c)Como conciliar a tempestade com o sono de Jesus? Talvez o maior drama dos discípulos não tenha sido a tempestade, mas o fato de Jesus estar dormindo durante a tempestade. Na hora do maior aperto dos discípulos, Jesus estava dormindo. Às vezes, temos a sensação de que Deus está dormindo e isso gera uma grande angústia em nossa alma.


 III. AS GRANDES PERGUNTAS FEITAS NAS TEMPESTADES DA VIDA

 a)Mestre, não te importa que pereçamos (4.38)?A tempestade provoca medo em nós, porque ela é maior do que nós. É mais fácil reclamar de Deus do que depositar nossa ansiedade aos seus pés e descansar na sua providência. A causa do desespero não era a tempestade, mas a falta de fé. O perigo maior que enfrentavam não era a fúria do vento ao redor deles, mas a incredulidade dentro deles.Jesus já havia provado para eles que ele se importava com eles. Um dos sentimentos que nos assaltam na hora da tempestade é que Deus não se importa conosco. Mas quando julgamos que ele está longe ou indiferente, ele sabe o que está fazendo.

b)Por que sois assim tímidos. Por que não tendes fé (4.40)?Os discípulos falharam no teste prático e revelaram medo e não fé. Onde o medo prevalece, a fé desaparece. Ficamos com medo porque duvidamos que Deus está no controle. Enchemos nossa alma de pavor porque pensamos que as coisas estão fora de controle. Pensamos que estamos abandonados à nossa própria sorte. Aqueles discípulos deviam ter fé e não medo, e isso por quatro razões:

1.a promessa de Jesus (4:35). Jesus havia empenhado sua palavra a eles: “passemos para a outra margem”. O destino deles não era o naufrágio, mas a outra margem. O Senhor vela pela sua palavra em a cumprir. Quando ele fala, ele cumpre. Promessa e realidade são a mesma coisa. A Palavra de Jesus, as promessas de Jesus não podem ser frustradas. São planos são perfeitos;

2.a presença de Jesus (4:36). É a presença de Jesus que nos livra do temor, Sl 23:4. A presença de Deus nas tempestades é nossa âncora e nosso porto seguro, Is 43:1-3, (Mt 28:20);

3.a paz de Jesus (4:38). Enquanto a tempestade rugia com toda fúria, Jesus estava dormindo. Ele dormiu por duas razões: dormiu porque descansava totalmente na providência do Pai e dormiu porque sabia a tempestade seria pedagógica na vida dos seus discípulos. O fato de Jesus estar descansando na tempestade já deveria ter acalmado e encorajado os discípulos. Jesus estava descansando na vontade do Pai e sabia que o Pai podia cuidar dele enquanto dormia. As tempestades da vida podem nos abalar, mas não abalam o nosso Senhor. Elas podem ficar fora do nosso controle, mas não fora do controle de Jesus.

4.o poder de Jesus (4:39). Aquele que estava no barco com os discípulos é o criador da natureza. As leis da natureza estão nas suas mãos. Ele controla o universo. A natureza ouve a sua voz e o obedece. Seguimos ao Senhor que tem todo poder e autoridade no céu e na terra. Jesus repreendeu o vento e o mar e eles se aquietaram e se emudeceram.

·    Quem é este que até o vento e o mar lhe obedecem (4.41)?As tempestades são pedagógicas. Elas são a escola de Deus para nos ensinar as maiores lições da vida. Aprendemos mais na tempestade do que nos tempos de bonança. Foi através do livramento da tempestade que eles tiveram uma visão mais clara da grandeza singular de Jesus. Os discípulos que estavam com medo da tempestade estão agora cheios de temor diante da majestade de Jesus.  Seu medo e a falta de fé vêm à tona por um único motivo: eles não sabem quem é Jesus. Quando passa o medo da tempestade e da morte, eles são acometidos por um outro tipo de temor; uma sensação de assombro, porque Deus estava bem ali. Eles passaram a ter uma fé real e experimental e não uma fé de segunda-mão. A pergunta deles é respondida pelo próprio texto em apreço.

1.Jesus é o mestre supremo que veio estabelecer o Reino de Deus (34,38). Jesus ensinou através das parábolas do Reino e também através da tempestade. Seus métodos são variados, seu ensino eficaz. Ele é o grande Mestre que nos ensina pela Escritura e também pelas circunstâncias da vida. Devemos aprender com ele e sobre ele. O Reino chegou com o Rei. Ele é o Rei. O Reino já foi inaugurado. O Reino já está entre nós e dentro de nós.

2.Jesus é perfeitamente homem (4:38). O sono de Jesus mostra-nos sua perfeitamente humanidade. O verbo se fez carne. Deus se fez homem. O infinito entrou no tempo. Aquele que nem o céu dos céus pode conter foi enfaixado em panos e deitado numa manjedoura. Aquele é criador e dono do universo se fez pobre e não tinha onde reclinar a cabeça. Esse é um grande mistério. Quem pode crer na encarnação de Jesus não deveria mais duvidar de nenhum de seus gloriosos milagres.

3.Jesus é perfeitamente Deus (4:39). Ele é o criador, sustentador e o interventor na natureza.

4.Jesus é aquele que tem toda autoridade para libertar o aflito (4:39, 41). O A intervenção soberana de Jesus, às vezes, acontece quando todos os recursos humanos acabam. Nossa extremidade é a oportunidade de Deus.

Conclusão: As tempestades fazem parte do currículo de Jesus para nos fortalecer na fé. As provas não vêm para nos destruir, mas para nos fortalecer. O fogo não vem para nos destruir, mas para nos purificar. Jesus está no controle das tempestades que nos ameaçam. Ele pode fazê-las cessar a qualquer momento!A quem você teme: as circunstâncias ou o Senhor das circunstâncias?

3 comentários:

Gutemberg P. de Almeida disse...

PARA MIM FOI UM DOS MELHORES ESTUDO QUE ENCONTREI SOBRE AS TEMPESTADE, QUE DEUS CONTINUE ABENÇOANDO, GLÓRIA A DEUS

Marco Oliveira disse...

Gostei muito dos comentarios sobre este estudo so re as tempestades que Deus continue abencoando a sua vida para que outras vidas sejam abençoadas

alex luta e vence disse...

Otimo gostei

Postar um comentário