ESTUDO BÍBLICO: O PODER SECRETO DA INIQUIDADE: A SEDUÇÃO DA SERPENTE




Texto Bíblico: Gn 3; Ez 33.30-31; 2 Co 11.3

Introdução: A expressão “os últimos dias” é frequentemente mencionada nas Escrituras. É bem possível que estes dias que vivemos sejam os mais interessantes, e também os mais assustadores na história da humanidade. Interessantes porque nós seremos testemunhas o derramamento do Espírito sobre a terra como jamais houve, acompanhado de uma colheita de almas inimaginável. Assustadores por que Paulo nos diz claramente que “nos últimos dias sobrevirão tempos difíceis” (2 Tm 3.1). A razão para os tempos difíceis não se refere às perseguições do povo de Deus, mas sim à propagação do engano dentro na Igreja. Esta advertência é encontrada repetidas vezes no Novo Testamento. Neste texto vamos estudar como age o espírito de engano tomando como base a história da sedução de Eva pela serpente no Jardim do Éden

1. A RAIZ DO ENGANO


O engano é uma coisa muito assustadora. Uma pessoa que está enganada acredita com todo seu coração que ela está correta, quando, na verdade, está errada. Jesus advertiu repetidas vezes contra o engano. Somente em Mateus 24, Ele advertiu quatro vezes. De fato, quando seus discípulos lhe perguntaram sobre Sua volta, as primeiras palavras que saíram de Sua boca quando descreveu estes dias foram: “Acautelai-vos que ninguém vos engane” (Mt 24.4).  Existe um tom solene e sério nestas palavras. Suas palavras têm ecoado por milhares de anos e não seríamos sábios se as negligenciássemos.

Qual é a raiz do engano? Por que este engano é capaz de permanecer invisível? A causa principal do engano nada mais é que a desobediência à autoridade divina ou transgressão e iniquidade. Somos admoestados a não só ouvir, mas cumprir a Palavra, (Tg 1.22). As Escrituras nos dizem que quando uma pessoa ouve a palavra de Deus, mas não obedece, o engano entra em seu coração e na sua mente. Esta pessoa passa a viver sob a convicção que ela está no alvo quando na verdade está fora dele. Quando não há submissão à autoridade de Deus, o que inclui a autoridade da Sua palavra, a porte é aberta para um sutil, porém grande engano.

Por que o engano é capaz de passar despercebido nestes últimos dias? Paulo nos diz que muitos seriam enganados, ”porque eles não receberam o amor da verdade” (2 Ts 2.10). Amar a verdade não é somente ouvi-la com alegria, mas ter prazer em obedecê-la. Vejamos o que foi dito ao profeta Ezequiel em Ez 33.30-31. Muitas pessoas nas nossas igrejas amam boas pregações e ensinamentos, mas quando se trata da realidade, elas ainda amam sua vida acima da vontade de Deus (2 Tm 3.1-4). Precisamos amar a verdade acima de tudo e de todas as coisas. Precisamos desejar Sua vontade mais do que o conforto ou nossa vida. Tomaremos nossa cruz e negaremos nossos direitos e privilégios em favor do cumprimento da vontade Dele. Somente isto nos livrará do engano.

2. O PODER SECRETO DA INIQUIDADE

A Bíblia claramente afirma “Pois já o mistério da iniquidade opera” (II Ts 2.7). O mistério está escondido no seu poder secreto. Para com os cristãos a iniquidade não seria efetiva se fosse visível, mas é enganadora e sutil; este é o seu mistério. Por isso, para que não ignoremos este mistério, o Senhor nos adverte (2 Co 2.11). Satanás é o mestre do engano. Jesus nos advertiu não somente que satanás é enganador, mas que ele é o pai da mentira (Jo 8.44). Jesus também nos advertiu que as ilusões e enganos de satanás viriam tão fortemente nos últimos dias que, se possível, até mesmos os escolhidos seriam enganados (Mt 24.24). Examinemos cuidadosamente o pedido de Paulo à Igreja de Corinto: “mas temo que, assim como a serpente enganou a Eva com sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos entendimentos (2 Co 11.3)”.

Paulo comparou a vulnerabilidade dos cristãos ao engano de Eva. Sem dúvida uma das maiores proezas do maligno foi ter enganado Eva. Para fazer com que ela se rebelasse, ele usou de táticas sutis e astutas para corromper a pureza de sua mente. A tática usada com Eva é uma lição para compreendermos como Satanás nos tenta enganar para que entremos em desobediência. Eu tenho visto pessoas na Igreja transgredindo os mandamentos de Deus, com os olhos totalmente abertos, perfeitamente cientes do que estão fazendo. Elas estão enganadas, pisando em território muito perigoso e caminhando para a morte espiritual (Rm 8.13). Mas também existem os outros – aqueles que constituem a maioria dos que estão em desobediência na Igreja – os que estão enganados. Assim como com Eva, as ignorâncias os têm levado ao engano, ao poder secreto da transgressão. A ignorância dá lugar ao engano, Is 5.13. O conhecimento aliado ao temor e tremor de Deus e de Suas leis nos livram do engano do inimigo. A verdade vivida em amor nos protege de qualquer mentira porque viver a verdade é obedecer.

A prática da Palavra de Deus é a nossa maior arma de defesa contra o engano. Tudo o que lemos, ouvimos e assistimos precisa ser verificado à luz da Bíblia; para ver se está de acordo com o que realmente a Palavra diz. Isto nos dará o entendimento e nos livrará do engano. Há muitos líderes e pastores enganados porque não têm temor nem o Espírito de Deus faz parte deles. Eles têm as palavras, mas elas continuam estéreis em suas vidas, incapazes de produzir a vida de Deus. Quando isto acontece, eles são facilmente tentados a adicionar ou diminuir o que Deus disse, e assim são arrastados para a desobediência.

3. A ASTÚCIA DA SERPENTE

Como a serpente enganou a mulher? Qual foi o esquema sutil do ataque?  Eva vivia num ambiente inteiramente perfeito. Tudo o que ela conhecia eram a bondade e a provisão de Deus. Ela andava e falava na presença Dele. A SERPENTE INDUZIU EVA A DUVIDAR DA BONDADE DE DEUS.
Havia uma ordem divina, Gn 2.16-17. “A bondade de Deus garantiu: “de toda a árvore comerás livremente enquanto a Sua autoridade restringiu:”, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás”. Deus enfatizou a liberdade de comer de toda a árvore com exceção de uma.

Vejamos as palavras da serpente, Gn 3.1. Colocando o texto numa linguagem mais coloquial: “Ouvi dizer que Deus não lhe deixou comer de todas as árvores. É verdade?”. A serpente começou a estratégia primeiramente colocando ênfase na ordenança de Deus. Ao distorcer seu significado, ela trouxe questionamento com relação ao motivo de Deus. Ela queria guiar Eva por uma cadeia de pensamentos que por fim a levaria a duvidar da integridade e bondade de Deus, Uma vez feito isto, seria bem mais fácil colocá-la contra a autoridade de Deus.

A serpente ignorou a generosidade de Deus e apontou a exceção; ela quis dizer que algo bom estava sendo proibido a eles. Com somente uma questão, a serpente distorceu o único mandamento, dado para proteger, em uma privação injusta. Em desconsideração ao acesso que tinham ao jardim inteiro, a serpente chamou a atenção de Eva para a única árvore que lhes fora negada. Ao fazer com que o Senhor parecesse injusto, a serpente usada pelo diabo foi exatamente contra os dois principais fundamentos da autoridade do Senhor: “justiça e juízo são a base do seu trono”, Sl 97.2. Seu trono representa Sua autoridade.

Em resposta à questão da serpente, a mulher a corrigiu, mas acrescentou algo que não havia sido dito. (Gn 3.2-1). É bem possível, mesmo ao ter respondido, que ela pensou sobre a razão por detrás desta ordem. Com dúvidas surgindo com relação aos motivos de Deus, ela estava aberta para o questionamento da autoridade de Deus. A serpente, astuta, aproveitou a oportunidade para ferir a veracidade e integridade da autoridade de Deus, indo claramente contra a palavra Dele, Gn 3.4-5.

4. A SEDUÇÃO E O PECADO

Seduzida, Eva foi enganada. Com o caráter, a integridade e a bondade de Deu em dúvida e a segurança de que nenhum mal lhe aconteceria dada pelo diabo através da astúcia da serpente, não sobrou nenhuma razão para que ela fosse submissa à autoridade de Deus. Eva pegou do fruto comeu e deu ao seu marido para que comesse.

Após haverem comido, os seus olhos foram subitamente abertos, e sentiram uma onda de medo ao perceberem sua nudez. Através de sua desobediência veio a morte espiritual. A desobediência fez deles servos do diabo e possibilitou a entrada do pecado no mundo, conforme afirma a Bíblia em Rm 6.16 e Rm 12. O pecado trouxe consigo problemas terríveis de comportamento a toda a humanidade e a lista cresce e se multiplica a cada geração que passa. Um único ato de insubordinação marcou o começo do poder secreto da iniquidade. A partir deste engano o homem perdeu sua provisão e proteção.

5. A ESTRATÉGIA DE ENGANO DO DIABO CONTINUA A MESMA AINDA HOJE

O modo de sedução de satanás hoje não mudou. E ele ainda deseja perverter o caráter de Deus e nos tornar contra Sua autoridade. Vejamos Tg 1.16-17. Tiago deixou clara a advertência para que os cristãos não caíssem vítimas do mesmo poder secreto da transgressão que Eva caiu. Precisamos dar ouvidos cuidadosamente à Palavra de Deus e gravá-la em nosso coração. Não existe nada bom fora da vontade de Deus. Pode até parecer bom, mas se não está alinhado com a vontade de Deus, não se engane, não há nada de bom para nós em tal coisa. Inúmeras pessoas deixam suas posições (empregos, igrejas, cidades) onde Deus as plantou porque não concordam com as autoridades estabelecidas sobre eles. Ao agirem com rebeldia, a pureza e o temor de Deus em sua vida é afetada. E o coração se distancia de um verdadeiro relacionamento de comunhão com o Senhor.

Conclusão: Ao desobedecer à vontade de Deus, muitos são enlaçados pelo “bom” e pelo “agradável” que o diabo promete. Tentam encontram “felicidade” em algo para o qual Deus diz não. Muitos têm medo de Deus estar privando-lhes das coisas boas e atrativas. O caminho da desobediência é, muitas vezes, um caminho sem retorno. O Senhor nos guarde do espírito de engano e sedução

0 comentários:

Postar um comentário